Tuesday, September 23, 2014

Eléctrico 28: «Lives up to its terrible reputation»


It was our third time in Lisbon and this time we finally gave in and got on tram 28 to experience the (in)famous ride. The tram was not packed, but there were no free seats available either, so we had to stand. Only two stops later a group of four local looking men, one of them holding a fatigued and dirty map of Lisbon in his hand, poorly acting as tourists, tightly surrounded me and my boyfriend, even though there was more space elsewhere on the tram and their intentions were more than clear. Realizing what was about to happen we immediately escaped the encirclement but felt awful playing the cat and mouse game, with one of the pickpockets still behind us, so we got off at the nearest stop while holding our belongings as strong as we could and decided to take a walk instead.
We may visit Lisbon once more but for sure we are never going to take tram 28 again, even if we have absolutely nothing valuable on us. The experience was dreadful. The local authorities and the tram operator should be ashamed for tolerating this situation. in Trip Advisor, turistas de Dublin. Jun 29, 2014

Monday, September 8, 2014

CML continua a prostituir a Cidade Histórica...

















Será que a DGPC foi consultada como obriga a Lei para dar parecer sobre este "cabide gigante espetado no passeio" na placa central da Praça Luís de Camões em Lisboa? 

Um dispositivo de publicidade exactamente igual foi instalado junto à fachada lateral do Teatro Nacional D. Maria II na Praça de Dom João da Câmara também em plena zona de protecção de vários monumentos classificados.

Ambos os dispositivos foram instalados na noite de 4 para 5 de Setembro de 2014. E é provável que existam outros locais vítimas desta exploração comercial autorizada pela CML.

O que virá a seguir Sr. Vereador Sá Fernandes? Uma retrete gigante a publicitar uma marca de louças sanitárias na Praça do Município?

Monday, September 1, 2014

Em Singapura os idosos controlam as passadeiras

Em vez de terem de correr para atravessar a rua e evitar um atropelamento, os idosos de Singapura têm um cartão que lhes permite aumentar até 13 segundos o semáforo vermelho dos automobilistas.
Em Singapura, idosos e pessoas com dificuldades físicas têm direito a mais tempo para atravessar a rua. Tudo graças a um cartão atribuído pelas autoridades do país. Para ganhar uns segundos extra basta passar o cartão nos sensores dos semáforos. Desde 1970 que a idade média da população de Singapura duplicou, passando dos 19,5 para os 38,9 anos. O número de idosos aumentou, num país com uma das mais altas densidades populacionais do mundo e onde atravessar a rua pode ser uma verdadeira dor de cabeça devido ao trânsito.
Com o projeto “Green Man Plus”, as autoridades responsáveis pelos transportes de Singapura permitem que estas pessoas tenham em média mais seis segundos para atravessar a passadeira. Em ruas mais longas, o tempo extra é de 13 segundos.
Land Transport Authority vai expandir o projeto a várias passadeiras até 2015, num total de 495. Se a medida chegar a Portugal, os automobilistas podem ter de esperar bem mais pela abertura do semáforo. Com uma população cada vez mais envelhecida (a idade média dos portugueses é mais alta que a dos habitantes de Singapura, estando nos 42,6 anos), haveria muitos cartões para distribuir.


Sunday, July 20, 2014

Tuesday, June 24, 2014

A REVOLUÇÃO ESTÁ NO LIXO...?




Aspecto dos paineis da exposição de iniciativa municipal «A REVOLUÇÃO ESTÁ NA RUA» no Largo do Chiado e na Rua Garrett. No dia seguinte à inauguração muitos dos paíneis foram logo vandalizados, derrubados e assim ficaram... Há vários dias que servem de lixeira conforme se vê pelas imagens. Lisboa, cada vez mais vandalizada, abusada, imunda?

Friday, May 30, 2014

Inaugurada hoje as «Festas da Cerveja» em Lisboa


...também por vezes chamada no passado «Festas de Lisboa»... Vêm aí rios de cerveja durante 1 mês.

Thursday, May 29, 2014

Passeios de Lisboa: LARGO DA ANUNCIADA

Com os cumprimentos de um certo restaurante que se julga dono do espaço público.

Friday, May 23, 2014

PUBLI-Cidade: Praça de Luís de Camões


Mais uma mega tela de publicidade no edifício sito na Praça de Luís de Camões, 41 a 43 tornejando para a Rua das Gáveas 2 a 6. Será que recebeu parecer positivo da DGPC? Este imóvel tem sido usado abusivamente como suporte de publicidade nos últimos 5 anos sem que tenha ocorrido qualquer obra de reabilitação (no ano de 2012  esteve lá a "Sumol" em Junho e a "Adidas" em Outubro). Esta última tela, de uma marca de cerveja, foi instalada na noite de 29 para 30 de Abril de 2014. O imóvel faz parte da área classificada do Bairro Alto e da Baixa Pombalina (CIP). Nota muito negativa para a CML.

Monday, March 24, 2014

Debate Colina de Santana: «existem alternativas»!


JAN GEHL: «the public component of our lives is disappearing»

“In a Society becoming steadily more privatized with private homes, cars, computers, offices and shopping centers, the public component of our lives is disappearing. It is more and more important to make the cities inviting, so we can meet our fellow citizens face to face and experience directly through our senses. Public life in good quality public spaces is an important part of a democratic life and a full life.
“Only architecture that considers human scale and interaction is successful architecture.”
“First life, then spaces, then buildings – the other way around never works.”
“The social changes of our era can help explain the dramatic increase in urban recreation – premium public spaces, with their diversity of functions, multitude of people, fine views and fresh air obviously have something to offer that is in great demand in society today.”
Jan Gehl


'Jan Gehl é um arquitecto e urbanista dinamarquês cuja carreira se tem focado em melhorar a qualidade da vida urbana reorientando o design da cidade em função do peão e do ciclista.
FOTO: Largo de Santa Cruz do Castelo, um dos muitos espaços públicos que continua refém de uma mobilidade urbana centrada no transporte particular - com óbvios prejuízos para a qualidade de vida de todos.

Friday, January 24, 2014

PASSEIO LIVRE!

Caro leitor, o Passeio Livre é um grupo de voluntários que nos seus tempos livres se dedica à causa da defesa dos peões, mormente pessoas com mobilidade reduzida, crianças e idosos, os mais prejudicados pelo flagelo que é o estacionamento selvagem nas nossas cidades. Como muitos sabem, uma das nossas ações de protesto é o envio de autocolantes de forma gratuita, pedindo apenas o pagamento dos portes de envio. Nos últimos 5 anos já distribuímos gratuitamente cerca de 50,000 autocolantes. Todavia, os autocolantes estão praticamente esgotados e mesmo os pagamentos que algumas pessoas dão em excesso aos portes de envio não chegam para cobrir a impressão de mais autocolantes.

Queremos continuar a enviar-vos autocolantes gratuitamente!

A impressão de 20 mil autocolantes a duas cores (amarelo e preto) custa 585€, segundo o orçamento dado pela gráfica que apresentou o preço mais baixo. De donativos extra das pessoas a quem já enviámos autocolantes temos quase 150€. Há uma associação cívica que nos fez um donativo de 150€, precisando nós agora de apenas mais 285€.

Por favor, ajude-nos a ajudar muita gente, combatendo o flagelo que é o estacionamento selvagem nas nossas cidades!

Pedimos que faça o donativo na quantidade que lhe aprouver para

NIB: 0035 0127 0004 8026 5300 6
IBAN: PT50 0035 0127 0004 8026 5300 6

Cada cêntimo conta!

Em nome daqueles a quem a nossa causa ajuda

Muito obrigado
Passeio Livre
www.passeiolivre.org

Thursday, January 23, 2014

PUBLI-Cidade: Rua de São Nicolau

Aqui está um "bom" exemplo de más práticas de publicidade num estabelecimento comercial em zona histórica de 1º categoria como é a Baixa Pombalina. Mas a verdade é que esta farmácia podia ser em qualquer outra zona urbana...

Friday, December 27, 2013

PUBLI-Cidade: LARGO DO CHIADO

Óbviamente há uma ambição que o Barclays não permite aos cidadãos de Lisboa: Ter uma cidade com o centro histórico livre de mega telas de publicidade! Damos uma nota NEGATIVA ao Banco Barclays por este oportunismo descarado em explorar uma zona histórica de Lisboa. Foto de 25 de Novembro de 2013.

Thursday, December 26, 2013

Monday, October 7, 2013

PUBLI-Cidade: ROSSIO

Em plena Praça D. Pedro IV, no ROSSIO. A CML já sabemos que aprovou isto de bom grado como quase sempre faz, para amealhar mais uns euros - mas será que a tutela do Património também compactuou com este espectáculo de terceiro mundo? Aguardamos resposta. Nota muito NEGATIVA também para a MEO pois revela uma grande falta de responsabilidade ao tratar asim uma zona urbana classificada com grande valor patrimonial para Lisboa e o país.